BrasilDestaquesÚltimas Notícias

Dia Nacional do Idoso é comemorado neste domingo

Criado em 1999 pela Comissão de Educação do Senado, o 27 de setembro, Dia Nacional do Idoso, teve como propósito promover a reflexão sobre a situação de saúde e bem-estar da parcela da população que apresenta o maior índice de crescimento no Brasil. Em 1º de outubro, comemora-se o Dia Internacional do Idoso, instituído em 1991 pela Organização das Nações Unidas (ONU).

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera idosa qualquer pessoa com mais de 60 anos, e mais de 28 milhões de brasileiros estão nessa faixa etária, representando 13% da população, conforme o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

A expectativa é esse número crescer exponencialmente nas próximas décadas, segundo a Projeção da População, divulgada em 2018. O documento aponta que um quarto dos brasileiros terão 60 anos ou mais, inversamente proporcional será o número de jovens, representando apenas 16,3% até 14 anos, até 2043. A OMS estima que em 2025, pela primeira vez, a população de idosos no planeta ultrapassará a de crianças.  Publicidade

Em maio, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio Econômicos (Dieese), divulgou boletim indicando que em 34,5% dos lares brasileiros havia pelo menos uma pessoa com 60 anos ou mais. Dessa população, 83,2% moravam com outras pessoas e 16,8% viviam sozinhas. 

O estudo apontou que 22,9%, dos idosos continuava a trabalhar no final de 2019, sendo que 7,9% tinham ocupação em áreas públicas ou veículos automotores. E parcela desse segmento colabora com o sustento dos lares onde vivem com outras pessoas. Em quase um quarto (24,9%)  dos domicílios no Brasil há idosos que contribuem com mais de 50% da renda domiciliar, através de pensões ou outros rendimentos.

As alterações imunológicas associadas ao envelhecimento aumentam os riscos de infecções que podem estar ligadas ao declínio funcional, provocando maiores taxas de hospitalizações e comorbidades.

Ver Mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo