AbaiaraCaririDestaquesÚltimas Notícias

“Falta de planejamento”? População reclama da demora da adutora da Serra do “Mãozinha” em Abaiara-Ce.

A obra da adutora da Serra do “Mãozinha” em Abaiara-Ce foi considerada pela gestão do atual prefeito Afonso Tavares como a obra mais importante da sua gestão. Ao contrário do que que seria, ATÉ O MOMENTO está sendo   considerada uma “lenda” por vários munícipes.

Para entender melhor o assunto precisamos lembrar que a obra é considerada a maior fonte hídrica que Abaiara já viu, tanto pela importância quanto pelo valor global de 3.000.000,00 (três milhões) em média, recursos do governo do estado através dos deputados Moisés Braz, (Estadual) e José Guimarães (Federal).

Se ficar pronta beneficiará cerca de 1.700 pessoas entre as comunidades dos Sítios Batingas, Belém, Camará e Tatajuba, porém os trabalhos enfrentam várias dificuldades e enquanto não se resolve a população atualmente sofre com a falta de água e está perdendo a esperança de ver o benefício ser concluído.

O INVERNO E O POÇO?

Reclamantes da demora da obra questionam que se não for colocada as caixas d’água que irão receber a água da adutora e ser distribuída para a população ainda este ano, a gestão terá dificuldade de fazer no início de 2020 quando estaria iniciando o período chuvoso e os locais onde seriam instalados os equipamento são de difícil acesso.

O OKariri entrou em contato com os responsáveis pela obra o Dr. Patrick Martins , o Engenheiro reconhece a dificuldade, mas diz que “não é impossível executar”, pois há meios de vencer a dificuldade com maquinários e que a gestão tem intenção de resolver o quanto antes, mas que há uma pendência na justiça a respeito do poço que iria abastecer a adutora e a gestão não receberá o restante dos valores enquanto não for resolvida a questão judiciaria.

Ainda segundo o engenheiro, o município resolveu todas as pendências da obra, mas que tudo esbarra na “questão do poço”, pois os proprietários não cedem o local para a perfuração deste e um dos terrenos que seria desapropriado está sendo alvo de disputa judicial e segundo ele é o que está impedindo da obra continuar

“TUDO GIRA EM TORNO DO HOSPITAL”

Enquanto isso, os moradores das localidades que seriam beneficiados sofrem com a dificuldade de ter a água potável para o consumo. Uma das reclamantes que não será identificada, diz que “foi falta de planejamento” para iniciar da obra, pois em sua opinião, antes de executar a obra era para saber onde iria ser perfurado o poço e ainda ironiza a situação, afirmando que não se pode reclamar das falhas da administração, pois, segundo ela há uma alegação que há um bom investimento no hospital, “Tudo Gira em torno do hospital, será que a população viverá sempre doente? Ou será que as necessidades de um município é somente um hospital? ” – questiona ela.

ASSUNTO RELACIONADO:

Etiquetas
Ver Mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
error: Está protegido !!
Fechar