CearáÚltimas Notícias

Ceará confirma dez mortes por gripe H1N1 neste ano

Neste ano, o Estado já concluiu a campanha de vacinação contra a gripe. No entanto, de janeiro a junho, foram confirmados 100 casos da doença. A maior parte das pessoas atingidas eram da Capital, com 75 confirmações (FOTO: FABIANE DE PAULA/DIÁRIO DO NORDESTE)

Os seis primeiros meses de 2013 registram o mesmo número de óbitos por Influenza que o ano de 2012 inteiro. Foram confirmadas 11 mortes, dez destas devem-se ao vírus da gripe A (H1N1), a gripe suína, e somente um por (H3N2). É o que confirma o último boletim epidemiológico da doença da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), divulgado no dia 28 de junho.

As notificações também mostram-se bem ativas, com uma variação de 12,2% de uma semana para outra. Se há sete dias o Estado havia notificado 294 casos, na semana seguinte este número subiu para 330. Ao todo, de janeiro a junho, foram confirmados 100 casos da doença.

Destes, 36,6% eram da forma grave da Influenza, ou seja, 49 casos. E 51 foram de Síndrome Gripal (SG). De acordo com o boletim da Sesa, a maior parte das pessoas atingidas pela doença eram da cidade de Fortaleza, com um total de 75 confirmações. O restante estava espalhado por 14 municípios do Ceará, totalizando 25 casos.

Com relação às vítimas da Influenza, duas das mortes eram de Fortaleza, o primeiro óbito por Influenza A (H1N1)/cepa pandêmica tratava-se de um rapaz de 25 anos, residente na Capital, com história de pneumonias de repetição na infância e adolescência, cardiopatia e portador de doença genética, não vacinado.

Já a segunda morte por Influenza A (H1N1)/cepa pandêmica trata-se de uma mulher de 43 anos, residente em Fortaleza, tabagista, imunodeprimida, não vacinada.

Quixeramobim

Já a Secretaria de Saúde de Quixeramobim confirmou, ontem, o registro do primeiro caso de H1N1 em Quixeramobim, no Sertão Central.

Segundo o coordenador municipal da Vigilância Sanitária, Cedric Fernandes, uma mulher teria dado entrada no Hospital Regional Dr. Pontes Neto com fortes dores de cabeça e outros sintomas semelhantes a uma virose. Devido à gravidade do quadro clínico da paciente foi encaminhada para Fortaleza.

Conforme Fernandes, durante toda semana, médicos e os profissionais de Enfermagem foram treinados seguindo os mais recentes protocolos de acompanhamento e tratamento para casos do Influenza. Também foram confeccionados cartazes indicativos de prevenção, controle e tratamento de casos. O município, por meio do órgão de vigilância em saúde, já recebeu Swab, que serve para fazer as coletas de exames, como também dispõe do medicamento antiviral para futuras necessidades.

A nova recomendação do Ministério da Saúde aos serviços e profissionais de saúde, constante do Protocolo de Tratamento de Influenza 2013, é iniciar imediatamente a medicação para indivíduos com condições e fatores de risco para complicações, com uso do Tamiflu, mesmo antes da confirmação laboratorial.

Pessoas com SG apresentam febre de início súbito, acompanhada de tosse ou dor de garganta e pelo menos um dos seguintes sintomas: cefaleia, mialgia ou artralgia, na ausência de outro diagnóstico específico.

Diário do Nordeste

Etiquetas
Ver Mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
error: O conteúdo está protegido !!
Fechar