CearáÚltimas Notícias

Ceará: Segundo ENEL, prisões por furto de energia quase triplicam em um ano

No Ceará, foram registrados cerca de 183 mil inspeções de furto de energia nos clientes de baixa tensão em 2017

Ceará: Neste ano, 57 prisões foram registradas pelo furto de energia em operações da Enel Distribuição Ceará, com o apoio da Polícia Civil. O número representa quase o triplo do total registrado em 2016, quando foram verificadas 20 prisões. A conduta fraudulenta tem pena prevista de um a oito anos de reclusão.

(Foto: Reprodução Google)

Em 2017, foram registrados cerca de 183 mil inspeções de furto de energia nos clientes de baixa tensão no Ceará. O número aproxima-se do montante registrado em todo o ano de 2016, quando 196 mil inspeções de furto de energia foram protocolados. A expectativa é que, em 2018, se fiscalize 30% a mais.

A Enel organizou uma série de fiscalizações no intuitos de identificar infratores que fazem furto de energia, nos bairros Aldeota e Meireles, nessa quinta-feira (21). No total, cerca de dez equipes realizaram vistorias em 50 locais, entre comércios e residências. Durante a operação, a dona de um estabelecimento, localizado nas proximidades do prédio da Receita Federal, foi conduzida à delegacia para prestar esclarecimentos.

As equipes técnicas percorreram as ruas Carlos Vasconcelos, Ildefonso Albano, Costa Barros e Pereira Filgueiras. Os peritos especializados eram responsáveis por verificar os medidores e a estrutura de cada local. Quando constatado algum tipo de infração, o responsável do local era informado. Além disso, a equipe registrava no próprio sistema e documentava fotograficamente as irregularidades. Em alguns casos, a energia foi cortada durante determinado período.

As ações fazem parte do plano para recuperação de créditos da Companhia. Além do combate aos furtos, também está sendo combatido a inadimplência, furto de infraestrutura e renegociação de dívidas. Na visão de Francisco Queiroz, gerente de manutenção da Enel, o delito gera impactos negativos para todo o coletivo. “O furto afeta todo mundo. Ele prejudica a qualidade da energia. A pessoa que furta consome mais do que deveria e desperdiça. Ela não tem cuidado com as proteções, causando oscilação de energia no sistema, comprometendo a segurança. O Brasil está em um momento de economizar energia, enquanto o fraudador consome em abundância, porque não tem nenhuma preocupação em fazer o que é certo”.

Queiroz explica que há três tipos de ações do gênero: o furto que acontece diretamente contra a distribuidora – focos da operação -, a ação que prejudica outro cliente ou ainda aquelas em desfavor das prefeituras, por meio da tomada de energia da distribuição pública.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a mulher detida durante a fiscalização foi conduzida ao 2º Distrito Policial (DP), sob a suspeita de envolvimento com o furto de energia elétrica. A Pasta acrescenta que “a mulher foi autuada em flagrante e liberada em seguida mediante pagamento de fiança”.

Queiroz declarou que a medição do estabelecimento da qual a suspeita é proprietária estaria adulterada e que o advogado presente no local deu o indicativo para a chamada do responsável pela unidade consumidora. O gerente esclarece que diversas prisões realizadas são por ações semelhantes às registradas ontem.

A “Maioria dos casos é por alteração nas medições. É comum que, quem foi autuado anteriormente, tenha contratado profissionais, que possuem conhecimento técnico. Não é comum que o cliente tenha o conhecimento técnico. Muitas vezes ele é envolvido por um criminoso que oferece o serviço e com a garantia que a pessoa não será pegue. Mas, nós pegamos, chegamos lá, temos as inspeções e o sistema de monitoramento de consumo em tempo real”.

Atrapalha

Entretanto, a ação não foi bem avaliada por alguns moradores. Segundo a comerciante Cristiane Rosa, 43, as equipes não comunicaram e atrapalharam as vendas. “Isso gera uma movimentação negativa para a gente. Eles só chegaram, mexem no medidor e não falam nada para nós, além de ficar muitos carros aqui na frente do estabelecimento. Sabemos que é o trabalho deles, mas as coisas acontecem e não sabemos o que é”, reclama.

A cabeleireira Raimunda Sousa, 66, comenta que já enfrentou problemas com a distribuição de energia e que o atendimento por parte da distribuidora foi de baixa qualidade. “Se a conta fica baixa, eles fazem a fiscalização na região. Mas quando dá problema e nós chamamos para a nossa casa, ninguém aparece. Meu neto depende da energia para estudar e, por vezes, nós ficamos sem energia por um bom tempo. Concordo com as fiscalizações, mas que melhore o atendimento”.

Para denunciar casos de furto, a população pode ligar gratuitamente, de qualquer município do Ceará, para a Central de Relacionamento, que atende no número 0800 285 0196

Fonte: Diário do Nordeste

Etiquetas
Ver Mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
error: Está protegido !!
Fechar