CearáDestaquesÚltimas Notícias

No Ceará: Déficit da Previdência do Estado deve chegar a R$ 1,7 bi neste ano; confira

Previdência estadual
Proposta da Reforma da Previdência estadual enviada à Assembleia exclui professores e militares. Foto: Fabiane de Paula

O Governo do Estado deve terminar o ano de 2018 com um déficit de R$ 1,7 bilhão na Previdência. Segundo Maia Júnior, titular da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag), esse valor é crescente e deverá ultrapassar os R$ 3 bilhões em cinco anos, caso o projeto de reforma não seja aprovado pela Assembleia Legislativa.

O atual sistema previdenciário tem uma situação de déficit. Para este ano, está previsto um aporte complementar, além da contribuição do servidor e da contribuição patronal paga pelo Estado“, diz.

De acordo com ele, o Ceará tem, atualmente, um passivo com os atuais servidores públicos contratados e com os aposentados e pensionistas.

Se o Estado tivesse que pagar essa dívida hoje, o valor presente seria de R$ 66 bilhões. Se hoje o Estado tivesse que aposentar todos os funcionários ao mesmo tempo e quitar essa dívida, ele teria que desembolsar esse valor“, acrescenta o secretário.

Maia Júnior diz ainda que, daqui para a frente, com a aprovação do novo sistema, esse passivo não deverá crescer mais. “Nesse caso, nós teremos como gerenciar bem o sistema de aposentadoria para não gerar déficits futuros“.

Equilíbrio

No compasso desse tema, o titular da Seplag afirma que o equilíbrio das contas da Previdência estadual só deverá ocorrer apenas em 2080. “A previsão nossa é que até esse ano nós vamos liquidar esse passivo. Os R$ 66 bilhões é o valor presente, mas que em valores correntes é algo em torno de R$ 159 bilhões que eu vou ter que pagar em termos atuariais. À medida que o Estado vai pagando essas aposentadorias até 2080 é previsível que não haja mais déficit motivado pela Previdência“, garante Maia Júnior.

okariri
Segundo ele, os ganhos de produtividade, o crescimento econômico do Ceará e a gestão dos ativos públicos devem amenizar o déficit.

Vai ser encaminhado à Assembleia no fim da próxima semana um projeto para a criação da gestora de ativos que é uma holding. Ela vai gerenciar os ativos públicos, que são os ativos imobiliários, mobiliários e a dívida pública. O gerenciamento da dívida mais esses ativos terão rendimentos e ajudarão a pagar esse passivo previdenciário no futuro“, completa.

A reforma deverá trazer reflexos positivos para o equilíbrio das contas estaduais em dois ou três anos, caso a matéria seja aprovada ainda neste ano pela Assembleia Legislativa. Embora as novas regras passem a valer apenas para os funcionários que ingressarem no serviço público após a aprovação do projeto, os efeitos serão quase imediatos por conta da velocidade de reposição dos servidores que vão se aposentar nos próximos anos.

A reforma também não prevê alterações na idade para aposentadoria ou tempo mínimo de contribuição. Também não atingirá militares e professores. Atualmente, o Estado possui 60 mil servidores ativos, dos quais 12 mil estão em processo de aposentadoria.

Fonte: Diário do Nordeste

Etiquetas
Ver Mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × um =

Fechar