CearáÚltimas Notícias

SABOEIRO: Obra estaria danificando arquitetura de igreja

Intervenção inclui reforma do piso do altar, construção de sacristia, capela e um confessionário, que serão divididos por parede. Segundo o Iphan, se os trabalhos forem consumados, o tombamento perde o sentido (Foto: Honório Barbosa/Diário do Nordeste)

Intervenção que vem sendo feita pelo pároco da Igreja de Nossa Senhora da Purificação de Saboeiro, na região Centro Sul do Ceará, estaria danificando a estrutura secular da edificação. A obra prevê reforma do piso do altar, construção da sacristia, da capela do Santíssimo e de um confessionário. Esses novos espaços são divididos por uma parede já erguida atrás do altar.

A informação é do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), escritório técnico de Icó, que demonstrou interesse em realizar um estudo para tombamento federal da paróquia. Segundo o órgão, não há projeto elaborado por arquiteto e nem acompanhamento técnico da obra, requisitos exigidos pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU).

O Iphan recebeu a solicitação do Ministério Público Estadual do Ceará (MPE) para que fosse feita uma vistoria em razão da abertura do processo de elevação a bem preservado. A visita foi feita, mas o estudo ainda depende da destinação de recursos. O órgão detectou que não só a igreja, mas um conjunto urbano, composto por outras edificações localizadas nas ruas Barão de Aquiraz e Visconde de Icó, receberam o parecer favorável para o tombamento.

“A denúncia nos chegou e fomos averiguar a situação. Infelizmente, não cabe ao Iphan barrar a continuidade da obra”, revela o chefe do escritório técnico do Iphan em Icó, Erick Mendes Rolim. Ele informa, ainda, que uma vez consumada a reforma, o tombamento perde o sentido.

No entanto, como nem mesmo o estudo foi iniciado, o Iphan não tem tutela para embargar a obra. Toda a documentação do processo de tombamento da paróquia foi encaminhada ao promotor que atende na Comarca de Saboeiro, Aureliano Rebouças Júnior, pelo promotor de Justiça da Comarca de Fortaleza e assessor do procurador geral de Justiça do Ceará, Marcus Renan dos Santos. Contudo, o material ainda não foi analisado. “Vamos instalar os procedimentos cabíveis, caso os danos sejam detectados”, declara o promotor. Enquanto isso, as intervenções continuam e devem ser concluídas no fim deste mês.

O que pode embargar a obra é uma ação civil pública ajuizada pela Promotoria local. Conforme Marcus Renan, a igreja é uma edificação de mais de 200 anos que guarda herança do estilo rococó, típica do século XVIII.

Polêmica se instaurou na cidade a respeito da reforma na capela. Alguns moradores são contra e outros a favor. Segundo os representantes do Conselho Paroquial, as duas portas instaladas atrás da igreja serão mantidas e a construção dos novos espaços ocorre em uma área livre, para circulação dos fiéis.

De acordo com o Conselho Paroquial, a reforma foi debatida com a comunidade, em reuniões nos bairros. A reportagem não conseguiu contato com o padre Francisco Glebson, pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Purificação e responsável pelas obras.

Posicionamentos

As três irmãs da Congregação Missionária da Sagrada Família são favoráveis às obras e mostram-se surpresas com a reação de algumas famílias contrárias às modificações na estrutura física da igreja. “O altar será preservado e apenas o piso será elevado para dar mais espaço aos padres”, diz a freira Cláudia Souza.

Maria Sena, professora e coordenadora do Conselho Paroquial, comenta que a reforma vai melhorar o funcionamento do templo nos dias de celebração. “A paróquia não oferece uma capela do Santíssimo e nem uma sacristia para o celebrante trocar de roupa”. Já a aposentada Zuleide Santos Martins é contrária à reforma e justifica o seu posicionamento: “A gente pensava que seria feita apenas uma pintura e instalação de novos bancos, mas estão modificando a arquitetura original”, critica.

Diário do Nordeste

Etiquetas
Ver Mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar