DestaquesMilagresÚltimas Notícias

“VOU ATÉ O FIM”; diz professor milagrense que teve a sua casa atingida com queda da torre da Tim

Uma chuva que banhou a sede do município de Milagres no final da de sábado, 16 fevereiro de 2013 causou uma série de transtornos a população, especialmente pela queda da torre de telefonia móvel da Claro, que segundo populares também era usada pela TIM, e da torre de transmissão da Rádio Onda Sul FM, compartilhada pela Palmares FM.

Torre que caiu pertencia a Claro e era usada de forma em conjunto com a TIM (Foto Acervo: Alecx Silva/Agência OKariri)

A precipitação não demorou muito, mas em face do forte vento, as torres não resistiram e foram ao chão. A da telefonia móvel estava localizada no centro da cidade, na Rua Joaquim Furtado de Morais, ao lado de uma instituição de ensino. A da emissora de rádio localiza-se no Bairro Eucaliptos, precisamente na Avenida Antônia Maria Fernandes.

A torre da Claro, que segundo populares media cerca de 80 metros de altura, caiu em cima da residência do Professor Cícero Lindomar, atingindo principalmente a área de serviço. Na época ele falou a reportagem do Portal OKariri.com e disse que iria correr atrás dos danos materiais.

Uma ação foi movida e a Claro S/A e Tim Celular S/A foram condenadas a pagar R$ 15 mil em indenização por danos morais para um professor do Município de Milagres. A decisão foi proferida nesta quarta-feira (14/11), pela 2.ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), com a relatória do desembargador Teodoro Silva Santos.

De acordo com o processo, em 16 de fevereiro de 2013, a torre de propriedade das empresas caiu, atingindo a casa dele e causando vários prejuízos financeiros. Mesmo após solicitação para reparar o dano, as operadoras não prestaram a devida assistência, nem mesmo providenciando a retirada do entulho gerado pelo desabamento. Sentindo-se prejudicado, o professor ajuizou ação na Justiça requerendo indenização por danos materiais e morais.

Na contestação, as empresas alegaram que a torre caiu em razão das fortes chuvas, o que caracteriza caso fortuito ou força maior, motivo pelo qual não podem ser responsabilizadas pelo prejuízo.

O caso está em uma instância maior, e até então o STJ (Superior Tribunal de Justiça) não deu um resultado final para o caso. Em sua rede social o professor Lindomar relembra o caso e além de classificar como “injustiça” ele desabafa afirmando que buscará os seus direitos enquanto viver, “vou até o fim”, diz o professor.

Confira a postagem na íntegra:

“Hoje, faz 8 anos que movi um processo contra a TIM e CLARO, devido à queda da torre (sem manutenção )  de suas responsabilidades ,sobre residências, inclusive a minha, destruindo imóveis e deixando pânico nos moradores do centro de Milagres. Sem querer arcar com os danos  materiais e morais causados,e aproveitando a morosidade da justiça ” injusta”, A CLARO até agora faz se arrastar a sentença do STJ, que julgou procedente a ação, me dando ganho de causa. Não desisto nunca, senhora OPERADORA de telefonia móvel, manobras não me calam! Buscarei meus direitos enquanto viver. Sou resistente e não temo. A luta continua!  VOU ATÉ O FIM.”

Relembre:

Atualizar mais Notícias

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo