- Publicidade -

“Mão boba” rende suspensão, e chileno está fora da Copa América

Chileno foi suspenso por três jogos e está foca da Copa América (Foto: Reprodução)
Chileno foi suspenso por três jogos e está foca da Copa América (Foto: Reprodução)

O zagueiro chileno Gonzalo Jara foi suspenso pelo tribunal disciplinar da Conmebol por três partidas pela provocação ao atacante uruguaio Edinson Cavani em jogo pelas quartas de final e está fora da Copa América. Na partida, Jara não foi expulso pelo árbitro brasileiro Sandro Meira Ricci, que só viu o revide de Cavani e aplicou o cartão vermelho ao uruguaio, mas acabou denunciado depois que as imagens do jogo o flagaram levando a mão a partes íntimas do adversário.

“Essa é a decisão do tribunal, de forma unânime. Pode ser apelada pela Federação de Futebol do Chile. O pedido do Uruguai, na denúncia, foi de cinco jogos de suspensão. Fizemos o mínimo previsto pelo código disciplinar, portanto não somos tão duros quanto vocês [jornalistas] dizem”, afirmou o boliviano Alberto Lozada, membro do tribunal disciplinar da Conmebol, após a decisão.

Sem Gonzalo Jara, titular da defesa da seleção chilena, o técnico Jorge Sampaoli afirmou: “Temos alternativas para substituí-lo. Quem for o escolhido estará preparado”. O Chile enfrenta o Peru na semifinal da Copa América, nesta segunda-feira, em Santiago.

A seleção chilena pode recorrer da decisão e levar o caso à câmara de apelações da Conmebol, presidida pelo equatoriano Guillermo Saltos, que está de plantão em Santiago, no Chile, para resolver casos da Copa América. No entanto, sinaliza que não apelará e apenas pede punição aos uruguaios. Além da suspensão de três partidas, Jara terá de pagar uma multa de US$ 7.500 à entidade sul-americana.

“A diretoria de comunicação da Federação de Futebol do Chile informa o conhecimento da punição de três jogos que o Comitê de Disciplina da Conmebol aplicou ao jogador Gonzalo Jara. A diretoria lamenta tal decisão, porém a aceita. Porém, a Federação de Futebol do Chile tem confiança que a sinalizada instância disciplinar do órgão do futebol sul-americano aplicará o mesmo rigor também aos jogadores da seleção do Uruguai, que oportunamente foram denunciados por terem agredido ao auxiliar de arbitragem da partida entre Chile e Uruguai, agredido a demais jogadores chilenos, faltado com respeito ao corpor de arbitragem e ao público nas arquibancadas do estádio”, disse a Federação de Futebol Chilena em comunicado emitido.

Gonzalo Jara foi punido por três jogos como pena mínima pelo que está previsto no código disciplinar da Conmebol, que desde 2013 é válido para todas as competições da entidade. O zagueiro chileno foi punido por “conduta violenta ou agredir jogadores”, como previsto no documento e como valeu para aplicação de parte da pena de Neymar. Além de cumprir dois jogos suspenso ainda nesta Copa América, leva mais uma partida de suspensão para cumprir nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018.

Participaram da decisão do caso o presidente do tribunal disciplinar, o brasileiro Caio Rocha, e os membros Orlando Morales, colombiano, e Alberto Lozada, boliviano – este último participou também da decisão que suspendeu Neymar por quatro partidas. Apesar da agressão não constar na súmula assinada por Sandro Meira Ricci, da partida terminou com vitória do Chile por 1 a 0, a federação uruguaia fez a denúncia com base nas imagens e recebeu como contra-ataque denúncias dos chilenos em relação a condutas de sete jogadores uruguaios contra rivais e oficiais da partida.

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

MAIS POPULARES